sábado, 21 de dezembro de 2013

EFEITO PLATÔ EXPLICA A DIFICULDADE DE ELIMINAR OS QUILINHOS INDESEJÁVEIS

Fonte: globo.com por Cristiane Perroni 

Na guerra para a perda de peso, chega um determinado momento que chegar ao peso desejado fica cada vez mais difícil e isso ocorre devido ao efeito platô. Por mais que siga ao programa alimentar fica mais difícil eliminar os “quilinhos” indesejáveis. Acredita-se que seja uma defesa do organismo para sobrevivência, uma redução do metabolismo. Na nossa evolução houve mais escassez do que oferta de alimentos, portanto o nosso corpo se adaptou a estocar os alimentos para os momentos de falta. 
Entretanto, atualmente há uma grande oferta de alimentos, no Brasil nunca houve tanta variedade e acesso aos alimentos e ao mesmo tempo a população de um modo geral reduziu seu gasto calórico em atividades básicas do dia a dia (melhora nos transportes, tecnologia...). Com isso a manutenção do peso é cada vez mais difícil e a obesidade é hoje uma epidemia. A melhor forma de evitar o efeito platô é modificar a quantidade e qualidade da dieta e dos exercícios, o corpo teria maior dificuldade para se adaptar e estagnar o peso. Em relação ao exercício físico modificar treinos e modalidades é mais fácil e prazeroso, entretanto modificar dietas é mais complicado porque o papel do nutricionista é formar hábitos e quanto mais adaptado o paciente estiver melhor seguirá a dieta, porém mais facilmente entrará no platô. 

Quando elaboramos o programa alimentar e fazemos o cálculo da dieta levamos em consideração o peso inicial e conforme o peso irá reduzindo o valor calórico desta dieta também reduzirá. Um indivíduo que inicia o tratamento com 100kg terá uma dieta com valor calórico maior do que quando ele alcançar 70kg. A primeira dieta é a de maior número de calorias. Na prática não tem como reduzirmos sempre o que estamos ingerindo, existe um limite de restrição que deve ser feito. Por isso é fundamental aliar exercício físico no programa alimentar, desta forma não será necessário fazer grande restrição calórica e também melhora e trata a composição corporal. Lembrando que quanto maior a massa muscular maior é a nossa aceleração metabólica, mais calorias gastamos parados. 
O fracionamento da dieta e o próprio ato de se alimentar também favorece a aceleração metabólica através do EFEITO TÉRMICO DO ALIMENTO (ETA), energia necessária para digerir, absorver, transportar e armazenar os nutrientes. Realizar de quatro a seis refeições diárias também seria benéfico. A modificação da composição da dieta também pode favorecer a aceleração do metabolismo. Existe “perda de energia” durante a metabolização dos nutrientes e cada nutriente possui um valor: proteínas de 25 a 30%, carboidratos 6 a 8% e lipídeos 2 a 3%. Aumentando um pouco a quantidade ou o percentual de proteínas da dieta podemos induzir uma maior aceleração do metabolismo, por ela promover aceleração metabólica. 

Manteria o mesmo valor calórico da dieta, mas modificaria a distribuição de carboidratos/ proteínas/ gorduras. Fazer lanches combinando carboidratos com proteínas como: sanduiche de queijo magro com peito peru; iogurte com cereal; torradas com queijo magro; whey protein batido com banana, barra de proteína. Desta forma evitamos picos glicêmicos e conseguimos lanches ricos em carboidratos e proteínas. Durante o emagrecimento longo, perda de muitos quilos como nos diversos graus de obesidade, é preciso calma e paciência. O efeito platô é muito comum, mesmo quando ainda faltam muitos quilos a perder, mas o corpo volta a reduzir “ele” só precisa de um tempo para se adaptar a este novo patamar de peso. 
A dieta precisa estar regularmente sendo recalculada quantitativamente e qualitativamente. As metas precisam ser revistas e novas estratégias formuladas, GUERRA É GUERRA! O maior aliado à dieta e talvez o que tenha maior peso para derrubar o PLATÔ é o exercício físico, por promover maior consumo de calorias durante a prática esportiva e mudar a composição corporal do indivíduo. Quando aliamos a dieta, o exercício de força e o exercício aeróbico garantimos a mudança da composição corporal, redução da gordura corporal - real emagrecimento e aumento da massa muscular e consequente aumento do gasto energético em repouso.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

SEDENTARISMO CONTRIBUI PARA NÚMERO CADA VEZ MAIOR DE OBESOS NO BRASIL

Por Nabil Ghorayeb Fonte: globo.com 

O último Congresso de Cardiologia deste ano foi o mais importante de prevenção cardiovascular. O "Brasil and Latin Prevent" contou com a presença dos presidentes das maiores sociedades de cardiologia do mundo, em Salvador dia 7 de dezembro. A surpresa foi a dura e incisiva constatação que o sedentarismo passou a ser dos mais danosos fatores de risco para a maior causa de mortes no mundo, a doença cardiovascular. Nos países desenvolvidos, ela diminuiu ao redor de 10%, enquanto nos países em desenvolvimento está ainda elevada e sem diminuição. 
A primeira consequência é o enorme crescimento da obesidade (chegou à 64%) em nosso país, e daí a cascata de doenças cardíacas degenerativas, diabetes, hipertensão arterial e outras. Os dados do nosso IBGE mostraram que o brasileiro apesar de 200 mil futebolistas profissionais, 400 mil corredores de rua, milhares de surfistas e outros esportistas, tem o sedentarismo na faixa de 80% da população. E isso contando todas as caminhadas para ir à escola ou ao trabalho. As mulheres são mais sedentárias que os homens, provavelmente pela absoluta falta de tempo, nos dias de hoje, onde a dupla e tripla jornada delas é um problema não resolvido. 

As informações divulgadas no congresso, pelos autores das pesquisas, nos deram a esperança de que iniciativas dos vários setores da sociedade podem mudar esse cenário. Andar, correr, nadar e pedalar são as primeiras opções desde a infância, que mostra um aumento grave de sedentarismo e obesidade. Não precisamos de academias, equipamentos, roupas especiais... apenas vontade! Não precisamos de medicamentos para emagrecer, pois uma dieta saudável e exercício físico regular em poucos meses já mostra o bom resultado. 
Em tempo, o uso de polivitamínicos foi debatido nesse congresso e considerado sem nenhuma utilidade para a prevenção da saúde, em pesquisas sérias publicadas em revistas de grande importância científica. A reeducação alimentar orientada por nutricionista resolve e sai muito mais em conta. 

Para quem quiser se aprofundar no tema seguem referências: Angell PJ Br J Sports Med 2012;46:i78-i84 e Deligiannis A et al. European Journal of Cardiovascular Prevention & Rehabilitation 2006;13:687-

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

TENDINITE PATELAR: INFLAMAÇÃO AFETA O JOELHO DEVIDO AO ESFORÇO REPETITIVO

Por Adriano Leonardi Fonte: globo.com 

A tendinite patelar, conhecida na língua inglesa como Jumpers Knee (joelho do saltador) é uma condição que, apesar de aparentemente inofensiva, pode levar à grande incapacitação à prática esportiva. Blazina foi o primeiro autor a estudar a doença em 1973, descrevendo uma tendinopatia (doença do tendão) visto em atletas que praticavam salto a distância. O joelho do saltador normalmente afeta a fixação do tendão patelar do polo inferior da patela devido ao mecanismo que ocorre durante a desaceleração no esporte. 
A incidência é maior nos homens. É uma das doenças do joelho mais comuns em atletas, ocorrendo em até 20% dos que praticam salto. Quanto ao lado acometido, homens e mulheres são igualmente afetados quando ocorre bilateralmente. Quando ela é unilateral, a relação é de dois para um. 

POR QUE A DOENÇA SE DESENVOLVE? 
Acredita-se que a patologia seja causada por esforço repetitivo sobre o tendão patelar e do quadríceps, durante o salto. É uma lesão específica para atletas, principalmente aqueles que participam de esportes envolvidos na desaceleração, como basquete, vôlei, handebol e corrida de rua. É ocasionalmente encontrada em jogadores de futebol, e em casos raros, pode ser visto em esportes como musculação e ciclismo. Fatores predisponentes incluem maior peso corporal, genu varo e geno valgo, um ângulo Q do joelho aumentado, patela alta, diferença no comprimento do membro, encurtamento das cadeias musculares, principalmente da posterior (isquiotibiais) Fatores ligados ao treino incluem falta de preparo físico direcionado ao esporte, técnica inadequada e aumento súbito da intensidade e frequência do esporte (overtraining). 

No esporte, joelho é uma articulação, cujas funções são a de absorver a energia cinética gerada pelo contato dos membros inferiores ao solo e transmitir o movimento aos demais seguimentos do corpo. Isto se deve a dois mecanismos básicos: a chamada contração muscular excêntrica, onde a fibra muscular contrai e alonga-se resistindo ao movimento e aos graus de flexão. Em uma corrida, por exemplo, a força de reação ao solo, que chega a ser duas vezes o peso do indivíduo, é absorvida pela flexão do joelho entre 50 e 60 graus e pela resistência do quadríceps, ou músculo anterior da coxa. 
O restante é dissipado pelo quadril e coluna vertebral. A doença ocorreria da perda deste equilíbrio. De uma certa maneira, o quadríceps deixaria de absorver toda a energia cinética e o tendão, sobrecarregado, sofreria micro-ruptura e degeneração. 

O QUE SE SENTE? 
Os pacientes relatam dor anterior do joelho, muitas vezes contínua. O início dos sintomas é insidioso. Normalmente, o envolvimento é infrapatelar ou perto do polo inferior. Dependendo da duração dos sintomas, o joelho do saltador podem ser classificados em uma a quatro fases: 
* Fase 1 - dor apenas após a atividade, sem prejuízo funcional 
* Fase 2 - dor durante e após a atividade, embora o paciente ainda é capaz de executar satisfatoriamente em seu esporte 
* Fase 3 - prolongada durante e após a atividade, com a dificuldade crescente na realização de um nível satisfatório 
* Fase 4 – Ruptura completa do tendão exigindo reparação cirúrgica. 

O exame físico pode revelar aos seguintes achados: * Ponto de dor no polo inferior ou superior da patela, ou tuberosidade tibial * Encurtamento dos isquiotibiais e quadríceps. * estabilidade ligamentar normal do joelho. * Derrame intra-articular do joelho (raro) 
Tratamento 
Na fase aguda, impreterivelmente, institui-se os programas de reabilitação, incluindo: * Modificação Atividade: Diminuir as atividades que aumentam a pressão femoropatelar (por exemplo, pular, agachar). Possivelmente início suave atividades de carregamento excêntrico. * Crioterapia: Aplicar gelo por 20-30 minutos, 4-6 vezes por dia, especialmente após a atividade. * Melhoria do alongamento: incluindo (1) os flexores do quadril e joelho (isquiotibiais, gastrocnêmio, iliopsoas, reto femoral, adutores), (2), extensores de quadril e joelho (quadríceps, glúteos), (3) da banda iliotibial, e ( 4) o retináculo patelar. * Reforço muscular: Fortalecer usando cadeia cinética fechada e exercício excêntrico (ou seja, a perna única descidas agachamento). * Avaliação isocinética: Detecção de possíveis desequilíbrios musculares através da analise do dinamômetro isocinético e tratamento dos mesmos. * Treinamento proprioceptivo específico, pliometria e retorno programado e assistido ao esporte. 

QUANDO SE OPERA? 
Em geral, após falha do tratamento conservador, indica-se o cirúrgico. Os dois principais procedimentos incluem a perfuração do polo envolvido e o corte da área acometida do tendão. O objetivo da perfuração é aumentar o suprimento vascular para a área afetada. Recentemente, com o chegada da artroscopia do joelho, é possível que seja realizada sem a incisão anterior clássica. O segundo procedimento envolve o corte longitudinal do tendão envolvido. O principal benefício deste procedimento é que ele permitiria retirada de todo o tendão doente, com posterior cicatrização da lesão. 
Além da cirurgia, existem outros tratamentos? Embora ainda em estudo, autores relatam sucesso no tratamento da doença com: * A terapia por ondas de choque (TOC): prevê um resultado comparável funcional em comparação com a cirurgia, de acordo com os pares e colegas. Nesta técnica, uma máquina emite pulsos semelhantes aos usados nas quebras de cálculos renais sobre o tendão doente. A partir daí, ocorreriam estímulos à cicatrização da lesão. * Aplicação de plasma rico em plaquetas: O PRP é um novo procedimento, baseado numa ideia revolucionária: Injetar nas lesões dos atletas e pacientes em geral, uma concentração de células reparadoras do seu próprio sangue. Este concentrado que é principalmente de plaquetas (daí o nome: plasma rico em plaquetas) contém as substâncias que ajudam a reparar tecidos, os “fatores de regeneração tecidual”, nossos fatores de cicatrização e crescimento celular. 

Logo, o tratamento, que era chamado “fator de crescimento” (hoje renomeado por levar a entender e confundir com GH- hormônio de crescimento que é doping e proibido para utilização na melhora do desempenho em atletas) foi difundido para tantos usos e tratamentos como se fosse a saída para todas as lesões. 
RETORNO AO ESPORTE  
Retornar para o esporte deve ser baseada na capacidade de um atleta com segurança e habilidade executar atividades esportivas específicas.Quando os sintomas persistem apesar do tratamento conservador ou até mesmo tratamento cirúrgico, o atleta deve pesar os benefícios e as consequências de jogar com dor. A complicação mais comum é a dor persistente durante o esporte. A mais temida é a ruptura espontânea do tendão, que em geral ocorre após uma contração abrupta do músculo quadríceps, levando a ascensão súbita da patela e incapacitação imediata. Esta condição leva à necessidade imediata de reparo cirúrgico. A prevenção de sua ocorrência envolve fatores como: * Avaliação do aparelho locomotor voltada à biomecânica do esporte. * Preparação física para a prática esportiva desejada. * Prática esportiva supervisionada por um profissional do esporte e, se possível também por um fisioterapeuta para que se evite erros no gesto esportivo ou overtraining.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

ANABOLIZANTES E SUPLEMENTOS: AS DIFERENÇAS E RISCOS DE CADA OPÇÃO

Fonte: globoesporte.com 

Quando o assunto é aumentar a massa muscular, sempre tem quem busque um resultado mais rápido do que o simples treinos de musculação oferece. Essa "ajuda" pode vir de duas formas: com anabolizantes ou suplementos nutricionais. Mas qual é a diferença entre eles? São dois produtos completamente diferentes. Os anabolizantes são feitos a partir de hormônios e proporcionam maior força. Já os suplementos são extraídos dos alimentos e vêm para completar a dieta. 
O anabolizante é ilegal e geralmente conseguido no "mercado negro", enquanto os suplementos são liberados - disse a nutricionista esportiva Elisa Berkenbrock. De acordo com o cardiologista Nabil Ghoraeyb, a indicação para uso de anabolizantes só existe em casos diferenciados: - São indicados em casos de deficências clinicas dos níveis de testosterona, grandes quadros de caquexia (tipo de desnutrição aguda que leva ao emagrecimento repentino) ou doenças graves e desgastes físicos severos após cirurgias de grande porte - explicou. 

O DJ Felipe Sabino, de 31 anos, conta que estava acima do peso, mas emagreceu e decidiu usar esteroides para ganhar músculos em pouco tempo com trabalho de hipertrofia na academia. - Era uma paciente com quadro de obesidade mórbida e pesava 150kg. Mudei o meu estilo de vida, consegui perder 50kg em um ano e fugi da cirurgia bariátrica. Até chegar o momento em que achei interessante começar a usar anabolizantes - contou o DJ de 31 anos. Médica e diretora da Sociedade Brasileira de Endocrinologia, Carmem Assumpção explicou que o culto ao vigor físico que existe nos dias atuais tem contribuído para esse uso indiscriminado de anabolizantes visando aumentar a massa muscular rapidamente. - É totalmente inadequado. Os médicos não compactuam com esse uso de anabolizantes para qualquer condição de melhora de desempenho. São drogas que promovem efeitos colaterais gravíssimos. Nós repomos os hormônios, como a testosterona, por exemplo, quando há uma necessidade clínica ou patológica - afirmou. 
Felipe, portanto, mal sabia o perigo que estava correndo. Pois o uso de esteroides podem causar problemas como a queda de libido, agressividade, disfunção da glândula tireoide e câncer de fígado. No caso das mulheres, a voz pode ficar mais grossa e também gera infertilidade. Sobre o consumo de suplemento, a nutricionista Elisa explica que não traz prejuízo à saúde, mas que precisa ser liberado após consulta individual. - Os suplementos alimentares, de um modo geral, são indicados para todas as idades. Desde uma criança que está com dificuldades para ganhar peso e pode usar proteína em menor dose ou até mesmo a creatina em idosos. Deve ser prescrito por uma especialista da área e não por um colega de academia - explicou Elisa. 

Nabil destacou que os anabolizantes oferecidos em academias vêm do exterior como forma de contrabando e usá-lo sem uma prescrição pode ser considerado criminoso. - O risco é evidente nos chamados ciclos. Do ponto de vista da ética, alguns médicos receitam com a desculpa de que alguns usuários devem ser retirados aos poucos desta dependência. A situação é grave e as complicações são enormes - encerrou o cardiologista.

domingo, 3 de novembro de 2013

POR QUE O ATLETA PODE SOFRER INFARTO? CARDIOLOGISTA EXPLICA OS MOTIVOS

Fonte: globo.com por Nabil Ghorayeb 

Algo que parece inexplicável, como um esportista que pratica corridas regularmente pode sofrer infarto? A noção que todos temos, é a de que uma vida ativa protege dessa doença. Sem dúvida a ciência considera o sedentarismo um dos fatores de risco para o infarto, tanto quanto o colesterol elevado, a hipertensão arterial, o tabagismo, o diabete e a obesidade. Sendo ele mais danoso que os possíveis riscos de problemas cardiovasculares desencadeados pela atividade física ou esportiva. 
Todas as mortes ocorridas em academias e nos esportes em geral tiveram suas causas esclarecidas, apesar de que praticamente a maioria da mídia, quando informa esses acontecimentos, costuma catalogar todos de morte súbita por infarto do miocárdio ou pior ainda por uma suposta parada cardíaca. Toda morte é uma parada cardíaca, seja por câncer, infarto, pneumonia, uso de anabolizantes e etc. Simplesmente significa que o coração parou! Portanto esse é um termo inadequado para informar a causa de uma morte! 

Agora, infarto do miocárdio é uma doença cardíaca bem definida, que quando ocorre pode ter umas das evoluções: 
1- morte súbita, 
2 -complicado por arritmias, 
3- complicado por insuficiência cardíaca, 
4- complicado por choque cardiogênico, 
5 - recuperado por angioplastia imediata e outras. 
A ocorrência de infarto num esportista ou atleta deve ser bem esclarecida, pois a atividade física pode ser um gatilho dessa doença, se a pessoa desconhece seu estado de saúde. Por isso insistimos que seja feita ao menos uma vez ao ano, uma avaliação médica especializada e repetida após alguma intercorrência médica. Num jovem com menos de 35 anos inegavelmente o infarto do miocárdio é muito pouco comum, porém os dados estatísticos do Comitê Olímpico Internacional conseguiram detectar em 40 anos, que surpreendentes 10% de mortes de atletas jovens foram provocadas pelo infarto do miocárdio, e mais ainda, a maioria tinha como fator de risco mais importante os níveis elevados de colesterol (outra surpresa). 

Os jovens atletas tinham entre 15 e 30 anos. Outra causa do infarto em jovens foi uma alteração congênita da anatomia da irrigação sanguínea do coração, conhecida como origem anômala maligna da coronária. As lições vêm confirmar algumas teses de que o esporte não corrige o colesterol ruim advindo dos maus hábitos de vida, principalmente da qualidade da alimentação, em relação ao consumo de gorduras, o que faz a diferença nos níveis do colesterol. A origem anômala poderia ser suspeitada pelo teste ergométrico e mesmo pelo ecocardiograma, se forem feitos por um médico. 
Adultos com mais de 35 anos, agora sim, tem no infarto a principal causa de morte na atividade física, e o dado mais esclarecedor, a imensa maioria dos casos estava com pelo menos dois dos fatores de risco não controlados efetivamente, por exemplo, a pressão estava só um pouco aumentada, o colesterol estava só um pouquinho acima do normal e assim por diante. O que obriga o médico ser rigoroso no tratamento desses fatores de risco. Concluímos que o esportista deve estar atento à sua saúde, para se prevenir do evento mais temido por todos, que é o infarto seguido de morte numa atividade física. Boas e saudáveis corridas.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

FREQUÊNCIA CARDÍACA X TREINO: SAIBA MEDIR A INTENSIDADE DO SEU ESFORÇO

Fonte: globo.com por Gustavo Luz 

Se você tem algum objetivo específico com o exercício, como perder peso ou melhorar seu condicionamento, é importante monitorar a intensidade do esforço realizado. O controle da frequência cardíaca (FC) é uma das melhores formas de fazer isso. Assim você sabe o quanto tem que se esforçar para seguir o objetivo do treino e conseguir o resultado que deseja. Aquela famosa fórmula para determinar a FC máxima (220 ou 226 – idade) funciona razoavelmente bem se você for jovem e sedentário. Mas se você quer realmente refinar essa medição e usar a FC para determinar a intensidade apropriada do seu exercício, você deve primeiramente estabelecer alguns parâmetros de esforço. 
E isso pode ser feito de duas maneiras – você pode visitar um laboratório de exercício e realizar um teste de esforço ou fazer o seu próprio teste. Geralmente, entre 4 e 10 minutos de teste são o suficiente para identificar vários parâmetros importantes. Existem alguns protocolos que funcionam bem e levam em conta o nível do corredor. Oriente-se com alguém de sua confiança. É importante lembrar que se você não conhece as condições do seu coração, não deve fazer esse teste por conta própria. 

Dê uma olhada em o que você consegue atingir em cada zona que treina: 
Zona 1 – 50% a 60% da FC máxima. - Treinar nessa zona por períodos suficientemente longos (10 a 60 minutos, duas ou três vezes por semana) já produz diversos benefícios à saúde. Aqui é o primeiro passo para quem está começando e/ou acima do peso. 
Zona 2 – 60% a 70% da FC máxima. - Exercitar-se nessa zona produz os mesmos benefícios da Zona 1, só que um pouco mais. E se você treinar mais perto dos 70%, começa a atingir adaptações que vão melhorar o seu condicionamento para a corrida. 

Zona 3 – 70% a 80% da FC máxima. - A parte de baixo dessa zona ainda é um exercício razoavelmente confortável, mas chegando nos 80% o exercício começa a ficar mais duro. Treinar nessa zona por tempo suficiente produz grandes adaptações fisiológicas (no coração, nos músculos treinados e no metabolismo) que aumentam a sua capacidade de correr. 

Zona 4 – 80% a 90% da FC máxima. - Essa zona é para aqueles que se interessam em performance. Junto com um período contínuo de treinos nas zonas 2 e 3, treinar aqui produz rápidos ganhos na performance. É uma zona interessante de ser trabalhada em períodos antes de competição. Entretanto, treinar aqui aumenta as suas chances de se machucar. 
Zona 5 – 90% a 100% da FC máxima. - Zona de competição para atletas treinados. Produz os mesmos resultados da Zona 4, mas gera um desgaste maior. Enquanto vai entrando em forma, sua FC nos treinos tende diminuir. Se você corre em um lugar que já conhece e verifica que sua FC está mais baixa mesmo mantendo (ou até aumentando) a velocidade, isso significa que seu corpo está respondendo bem aos treinos. E consequentemente a sua FC voltará aos valores normais de repouso mais rapidamente. E se a FC estiver mais alta do que o normal na hora que você for treinar, isso pode ser um sinal de que você deve pegar mais leve.

sábado, 12 de outubro de 2013

BONS MOTIVOS PARA INGERIR MAIS FIBRAS E BEBER BASTANTE ÁGUA DURANTE O DIA

Fonte: globo.com por Natália de Oliveira 

Ingerir mais fibras, como chia e linhaça, beber muita água e praticar atividade física são hábitos que auxiliam no bom funcionamento do intestino, evitam os problemas de digestão, favorecem a saciedade, previnem doenças e facilitam o emagrecimento. Confira bons motivos para seguir isso à risca: 
Ingerir mais água:
- Água não engorda, a bebida tem 0 kcal 
- A água hidrata naturalmente a pele, deixando-a mais viçosa e com aparência saudável, sem sinais de ressecamento 
- Contribui para a desintoxicação do organismo, poupando o trabalho dos rins, evitando a formação de cálculos renais 
- Melhora também a circulação sanguínea, prevenindo o aparecimento de celulite 
- Importante na regularização da função intestinal, evitando a obstipação 
- Água com gás não dá celulite, ao contrário que todos pensam 
- A água ajuda a controlar o apetite, favorecendo então o emagrecimento 
- Ingerir pelo menos 2 litros de água ao dia, evita rugas e o envelhecimento precoce 
- Beber água em jejum, ao acordar, prepara melhor o sistema digestivo, facilitando o processo de digestão 
- Reduz infecções, combate o inchaço, regula a temperatura corporal e melhora a absorção de nutrientes 
Ingerir mais fibras: 
- As fibras alimentares são encontradas em alimentos integrais, grãos integrais, legumes, frutas e verduras 
- Melhora de forma significativa o quadro de obstipação intestinal 
- Mantém os níveis de glicemia estáveis, em especial para os indivíduos diabéticos 
- Melhoram o quadro de hipercolesterolemia, prevenindo assim o surgimento de doenças cardiovasculares 
- Favorecem o emagrecimento, promovendo saciedade 
- Atuam ainda prevenindo o câncer de intestino, devido ao menor tempo de contato das substâncias cancerígenas com a mucosa intestinal 
Ingerir linhaça: 
- Como fibra, também contribui para a regularização da função intestinal 
- Promove também a saciedade, por ter uma absorção mais lenta, contribuindo para a perda de peso 
- Rica em ômega 3 e 6, que são gorduras monoinsaturadas, mantendo a redução do LDL (colesterol ruim) 
- Deixa a pele com aspecto mais saudável, também pela presença do ômega 3 
- Ajuda no combate as espinhas, mantendo as membranas mais impermeáveis e alterando o fluxo sanguíneo 
- Auxilia na redução de retenção de líquidos, pela sua ação desintoxicante 
- Contribui para o combate ao Câncer, devido ao menor risco de tumores, especialmente cólon, próstata e mama 
- Ameniza os sintomas de TPM, pois o grão é rico em lignana que contribui para isso - Promove energia e vitalidade 
- Regulariza também os níveis de açúcar no sangue 
- Fortalece o sistema imune Ingerir chia: 
- Chia é a semente da vez, rica em fibras, regulariza também a função intestinal nos casos de constipação 
- Por ser uma fibra solúvel, promove a sensação de saciedade, facilitando o processo de emagrecimento 
- Apresenta uma quantidade significativa de ômega 3, ajudando a evitar doenças cardiovasculares 
- Apresenta quantidade relevante de Cálcio e Ferro 
- Excelente fonte de Magnésio, essencial para o cérebro e ligações cognitivas 
- Fonte de Vitamina A, essencial para uma boa visão, pele, unha e cabelos 
- Apresenta antioxidantes que combatem a produção de radicais livres, logo também previnem o envelhecimento celular

terça-feira, 24 de setembro de 2013

JORNAL CATALÃO REVELA SUPLEMENTAÇÃO PARA NEYMAR GANHAR MASSA MUSCULAR

Segundo o 'Sport', brasileiro toma uma mistura de proteínas depois de cada partida e treino. Camisa 11 já teria ganho dois quilos em cerca de um mês. Desde que sofreu com uma anemia antes de se apresentar ao Barcelona, Neymar vem passando por um processo de recuperação de peso e ganho de massa muscular. E o jornal catalão "Sport" afirmou nesta segunda-feira que o camisa 11 catalão tem em sua dieta uma espécie de "poção mágica", que seria um dos principais fatores em sua dieta. 
Trata-se de uma mistura de proteínas específicas para o jogador e, segundo a publicação, o brasileiro chegou a provar os sabores de chocolate e morango, mas acabou preferindo o sabor baunilha. Neymar teria que tomar 300 ml depois da cada partida disputada e 150 ml depois de cada sessão de treinamento. Na fórmula da "poção" estariam 0,20 mg de ferro, 8 g de glicídios, 200 mg de cálcio, 3 g de lipídeios, 95 mg de sódio, além de triglicerídeos, aminoácidos e as vitaminas C, E, B1, B2, B6, B9 e B12. A mistura em pó teria que ser misturada a leite ou água para ser ingerida. 

Segundo o "Sport", a mistura já fez com que Neymar recuperasse dois quilos em pouco mais de um mês, além de já estar suportando melhor os choques com os adversários. O camisa 11 ainda não teria iniciado um trabalho específico de musculação buscando fortalecimento.

domingo, 22 de setembro de 2013

DOR NO NERVO CIÁTICO: UM PROBLEMA COMUM EM SEDENTÁRIOS E ATLETAS.

Fonte: globo.com por Raquel Castanharo 

O incômodo causado pela compressão do nervo é uma das reclamações mais comuns, tanto em sedentários como em praticantes de atividade física. A ciatalgia acontece quando há uma compressão do nervo ciático, causando uma dor em formigamento que começa na coluna e pode se estender pela parte posterior da perna, chegando até o pé. Dois exemplos de situações de compressão do nervo são a hérnia de disco lombar e a síndrome do piriforme. 
Na hérnia de disco, um ou mais dos discos que ficam entre as vértebras lombares comprimindo a região do nervo próxima à coluna. Neste caso é importante manter o fortalecimento da musculatura do tronco, o que não deve ser realizado com exercícios pesados. O ideal para essa musculatura são exercícios com carga leve, sustentados por mais tempo e com maior número de repetições. Um exemplo é o exercício bird dog: apoiado nas mãos e nos joelhos, levante uma perna e o braço do lado oposto, mantendo o abdômen contraído e não movendo a coluna. 
A síndrome do piriforme é um problema no qual o nervo ciático é comprimido pelo músculo piriforme, que fica na região glútea. Medidas para relaxar o músculo piriforme são benéficas nesse caso, e manter estabilidade da pelve e do quadril, através de fortalecimento, é essencial. O agachamento e o afundo, com foco em glúteos, são exemplos de bons exercícios. Manter a musculatura do tronco e do quadril forte não deveria ser uma preocupação somente em casos de ciatalgia. 
Esses grupos musculares são fundamentais para a boa postura e a movimentação do corpo na prática de esportes. Seu fortalecimento previne lesões até em articulações mais distantes, como joelho e tornozelo. Manter um hábito de vida sedentário não previne nem ajuda nas dores causadas pelo nervo ciático. Um determinado nível de atividade física deve ser mantido em quem sofre desse problema, obedecendo as recomendações médicas e as particularidades de cada caso.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

ATIVIDADE FÍSICA E O SEXO: DOSE CERTA DE EXERCÍCIO PODE MELHORAR SUA PERFORMANCE SEXUAL.

A prática da corrida e de outras formas de atividade física proporcionam grandes benefícios para a saúde física e mental. Dos muitos benefícios cientificamente comprovados, a melhora da vida sexual é sempre lembrada. Vários estudos científicos já foram conduzidos com o objetivo de investigar os benefícios da corrida para a “qualidade e quantidade da atividade sexual”. O que parece ser uma espécie de desafio é encontrar a “dose ótima” de exercício para a melhora do sexo. 
Um estudo conduzido na Universidade da Califórnia- San Diego, comparou o benefício da corrida para a vida sexual em dois grupos de voluntários. O primeiro grupo era submetido à um programa de corrida em intensidade moderada durante 60 minutos 4 dias por semana. O segundo grupo fazia caminhada leve percorrendo distâncias mais curtas com a mesma frequência semanal. Os indivíduos do primeiro grupo relataram significativa melhora na qualidade da vida sexual, tanto em relação à libido quanto ao “vigor” no sexo. Os indivíduos do segundo grupo, não relataram melhora na qualidade ou frequência na vida sexual. Entretanto, outros estudos demonstraram também melhora da vida sexual como consequência de programas de exercícios mais moderados. 
Um recente estudo publicado no “International Journal of Obesity” relatou que mulheres com sobrepeso que perderam peso praticando caminhada, tiveram sensível melhora na qualidade do sexo, inclusive com aumento da incidência de orgasmos . Um estudo desenvolvido por pesquisadores do New England Research Institute nos EUA estudou um grupo de 600 homens de meia idade ao longo de um período de oito anos. Os homens que praticavam corrida regularmente durante este período não relataram nenhum problema de impotência, enquanto os de vida sedentária apresentavam vários episódios de perda de vigor sexual e impotência. 
Os mecanismos fisiológicos que explicam a melhora do sexo com a prática de exercícios, apresentam várias interpretações científicas. Nos homens a prática de exercícios comprovadamente está relacionada com o aumento da testosterona ou com a atenuação da sua redução com a idade. Tanto nos homens como nas mulheres, a prática de exercícios físicos regulares proporciona melhor perfusão sanguínea para os órgãos genitais como cosequência da melhora da saúde dos vasos sanguíneos. Também são relatados benefícios hormonais e de liberação das endorfinas como consequência de exercícios mais prolongados. Certamente existe também o benefício da melhora da autoestima e da saúde mental que o exercício proporciona, contribuindo para melhor qualidade do sexo. Portanto, se sua vida sexual não está satisfatória, corra que ela melhora! 

Fonte: globo.com por Turíbio Barros

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

DROGAS X ESPORTE: A MACONHA CAUSA PICOS DE PRESSÃO E RISCOS CARDÍACOS

Fonte: globo.com por Nabil Ghorayeb 

Análises estatísticas mostram que o risco de infarto agudo do miocárdio aumenta 4,8 vezes nos primeiros 60 minutos após o uso de maconha Primeiramente, surpreende a postura de alguns políticos em não considerar a maconha como perigosa para a saúde. Só posso pensar que são movidos por ignorância cientifica! Quanto ao aspecto policial-econômico não iremos abordá-lo neste artigo. Segundo a medicina, essas drogas são alucinógenas, causam dependência e graves sequelas aos seus usuários. 
Os aspectos ditos "medicinais" atualmente são bem delimitados, apenas para certas doenças graves, incapacitantes e incuráveis, onde seus efeitos psiquiátricos, entre outros, servem para “anestesiar o sofrimento”. Não é um produto medicinal de uso generalizado, até onde chegaram as inúmeras pesquisas sérias. Os efeitos cardiovasculares são bem descritos na literatura médica e um artigo de forte impacto científico nos chama a atenção: “Infarto do Miocárdio desencadeado pela maconha” (Triggering Myocardial Infarction by Marijuana) do respeitado autor Mittleman MA, e colaboradores, na revista de maior importância na cardiologia mundial (Circulation - Vol: 103 - Págs: 2805-2809; 2001). 
O princípio ativo da maconha é o THC, que fica depositado nas células gordurosas do corpo. Seus efeitos duradouros aumentam com o incremento das doses, e os principais sintomas são: 
1) Taquicardia paroxística em repouso, ou seja, importante elevação da frequência cardíaca (pulsação) que pode atingir o dobro da habitual em repouso. E não estou falando em “overdose”.  
2) Extrassístoles ventriculares e supraventriculares são muito frequentes e surgem em geral, após aproximadamente 20 minutos do inicio de seu consumo. 
3) Súbita e importante elevação da pressão arterial (alcança rapidamente 200 x 110 mm Hg) na posição deitada, queda da pressão se ficar de pé, provocando o que chamamos de síncope cardiogênica. 
4) Aumento da absorção de monóxido de carbono, que provoca dificuldades respiratórias graves e redução do transporte de oxigênio para o coração. 
5) Prejudica a atividade física de modo irreparável por alguns dias, tanto na resistência como na técnica da modalidade esportiva, até no simples caminhar. 
Com base nas análises estatísticas observou-se um risco de infarto agudo do miocárdio 4,8 vezes maior nos primeiros 60 minutos após o uso da maconha comparando com os períodos de não uso. Ainda outros estudos, encontraram lesões de fibrose no miocárdio pela ressonância magnética do coração, os temidos focos de arritmias cardíacas complexas e graves, complicações diferentes do infarto do miocárdio. Todos os efeitos se repetem, em grau ainda mais avançado, em usuários do skunk, espécie de maconha com altíssimo teor de THC.

domingo, 1 de setembro de 2013

COMO O AUTISMO AJUDOU MESSI A SE TORNAR O MELHOR DO MUNDO

Fonte: Diário do Centro do Mundo 

Messi é autista. Ele foi diagnosticado aos 8 anos de idade, ainda na Argentina, com a Síndrome de Asperger, conhecida como uma forma branda de autismo. Ainda que o diagnóstico do atleta tenha sido pouco divulgado e questionado, como uma maneira de protegê-lo, o fato é que seu comportamento dentro e fora de campo são reveladores. Ter síndrome de Asperger não é nenhum demérito. São pessoas, em geral do sexo masculino, que apresentam dificuldades de socialização, atos motores repetitivos e interesses muito estranhos. Popularmente, a síndrome é conhecida como uma fábrica de gênios. É o caso de Messi. 
É possível identificar, pela experiência, como o autismo revela-se no seu comportamento em campo — nas jogadas, nos dribles, na movimentação, no chute. “Autistas estão sempre procurando adotar um padrão e repeti-lo exaustivamente”, diz Nilton Vitulli, pai de um portador da síndrome de Asperger e membro atuante da ONG Autismo e Realidade e da rede social Cidadão Saúde, que reúne pais e familiares de “aspergianos”. “O Messi sempre faz os mesmos movimentos: quase sempre cai pela direita, dribla da mesma forma e frequentemente faz aquele gol de cavadinha, típico dele”, diz Vitulli, que jogou futebol e quase se profissionalizou. E explica que, graças à memória descomunal que os autistas têm, Messi provavelmente deve conhecer todos os movimentos que podem ocorrer, por exemplo, na hora de finalizar em gol. “É como se ele previsse os movimentos do goleiro. Ele apenas repete um padrão conhecido. Quando ele entra na área, já sabe que vai fazer o gol. E comemora, com aquela sorriso típico de autista, de quem cumpriu sua missão e está aliviado”. 

A qualidade do chute, extraordinária em Messi, e a habilidade de manter a bola grudada no pé, mesmo em alta velocidade, são provavelmente, segundo Vitulli, também padrões de repetição, aliados, claro, à grande habilidade do jogador. Ele compara o comportamento de Messi a um célebre surfista havaiano, Clay Marzo, também diagnosticado com a síndrome de Asperger. “É um surfista extraordinário. E é possível perceber características de autista quando ele está numa onda. Assim, como o Messi, ele é perfeito, como se ele soubesse exatamente o comportamento da onda e apenas repetisse um padrão”. Mas autistas, segundo Vitulli, não são criativos, apenas repetem o que sabem fazer. “Cristiano Ronaldo e Neymar criam muito mais. Mas também erram mais”, diz ele. 
Autistas podem ser capazes de feitos impressionantes — e o filme Rain Man, feito em 1988, ilustra isso. Hoje já se sabe, por exemplo, que os físicos Newton e Einstein tinham alguma forma de autismo, assim como Bill Gates. Também fora de campo, seu comportamento é revelador. Quem já não reparou nas dificuldades de comunicação do jogador, denunciadas em entrevistas coletivas e até em comerciais protagonizados por ele? Ou no seu comportamento arredio em relação a eventos sociais? Para Giselle Zambiazzi, presidente da AMA Brusque, (Associação de Pais, Amigos e Profissionais dos Autistas de Brusque e Região, em Santa Catarina), e mãe de um menino de 10 anos diagnosticado com síndrome de Asperger, foi uma revelação observar certas atitudes de Messi. “A começar pelas entrevistas: é visível o quanto aquele ambiente o incomoda. Aquele ar “perdido”, louco pra fugir dali. A coçadinha na cabeça, as mãos, o olhar que nunca olha de fato. Um autista tem dificuldade em lidar com esse bombardeio de informações do mundo externo”, diz Giselle. 

Segundo ela, é possível perceber o alto grau de concentração de Messi: “ele sabe exatamente o que quer e tem a mesma objetividade que vejo em meu filho”. Giselle observou algumas jogadas do argentino e também não teve dúvidas: “o olhar que ‘não olha’ é o mesmo que vejo em todos. Em uma jogada, ele foi levando a bola até estar frente a frente com um adversário. Era o momento de encará-lo. Ele levantou a cabeça, mas, o olhar desviou. Ou seja, não houve comunicação. Ele simplesmente se manteve no seu traçado, no seu objetivo, foi lá e fez o gol. Sem mais”. Segundo Giselle, Messi tem o reconhecido talento de transformar em algo simples o que para todos é grandioso e não vê muito sentido em fama, dinheiro, mulheres, badalação. “Simplesmente faz o que mais sabe e faz bem. O resto seria uma consequência. Outra aspecto que se assemelha muito a meu filho”. Outra característica dos autistas, segundo ela, é ficarem extremamente frustrados quando perdem, são muito exigentes. “Tudo tem que sair exatamente como se propuseram a fazer, caso contrário, é crise na certa. 
E normalmente dominam um assunto específico. Ou seja, se Messi é autista e resolveu jogar futebol, a possibilidade de ser o melhor do mundo seria mesmo muito grande”, diz ela. A ideia de uma das maiores celebridades do mundo ser um autista não surpreende, mas encanta. Messi nunca será uma celebridade convencional. Segundo Giselle, ele simplesmente será sempre um profissional que executa a sua profissão da melhor forma que consegue — mas arredio às badalações, às entrevistas e aos eventos. “Ele precisa e quer que sua condição seja respeitada. Nunca vai se acostumar com o assédio. Sempre terá poucos amigos. E dificilmente saberá o que fazer diante de um batalhão de fotógrafos e fãs gritando ao seu redor. De qualquer modo, certamente a sua contribuição para o mundo será inesquecível”, diz ela.

domingo, 11 de agosto de 2013

JARAGUÁ FUTSAL VOLTA A JOGAR PELA LIGA NACIONAL NESTA SEGUNDA

O Jaraguá Futsal (CSM/Pré-Fabricar/Mannes/FME) volta a enfrentar o Concórdia, mas dessa vez o confronto será válido pela Liga Nacional 2013. O jogo está confirmado para acontecer na segunda-feira (dia 12), às 19h15, no Centro de Eventos Concórdia, em Concórdia (SC). Recentemente as equipe duelaram pelo Campeonato Catarinense, com empate em 2 a 2. 
Terceiro lugar na tabela de classificação do grupo C, com um ponto somado em dois jogos, o elenco do Jaraguá Futsal demonstra tranqüilidade para buscar a primeira vitória na segunda fase da competição. “É um jogo decisivo e estamos tratando como o jogo mais importante do ano. Pensamos em classificação e se perdemos essa partida isso não vai acontecer. Sabemos que a concentração será um fator fundamental para conquistarmos a vitória”, analisou o ala Dian. “Temos a consciência que não conseguimos bons resultados até agora, portanto chegou o momento de vencer a primeira. 

O campeonato está se afunilando e temos que nos superar para vencer e seguir vivo na competição”, relatou o goleiro Djony. O técnico Sérgio Lacerda terá a equipe completa para esse confronto, fato valorizado pelo treinador. “O time é experiente e sabe conviver com situações adversas. Todos estão cientes que deixamos escapar a vitória contra o Assoeva, o que nos deixou em uma situação incômoda. Mas agora vamos trabalhar para vencer as próximas partidas e reverter à situação”, disse. A partida terá transmissão do canal por assinatura Sportv, da Rádio Jaraguá AM (sintonia 1010) e da Rádio Studio FM (sintonia 99.1).

sábado, 10 de agosto de 2013

CORRIDA PODE TRAZER BENEFÍCIOS PARA DIA-A-DIA E APRENDIZADO DAS CRIANÇAS

Fonte: globo.com 

A corrida de rua é uma das práticas esportivas que mais cresce no Brasil, não só entre os adultos, mas também entre crianças. Cada vez mais os pequenos aderem à modalidade e invadem as pistas em percursos que variam de 50m a 3km. O exemplo dos pais é um dos maiores incentivos para que as crianças comecem a correr. Dispostos a imitar seus “heróis” em tudo, filhos de adultos que se exercitam com frequência tendem a mostrar interesse por esportes. 
"Elas estavam acostumadas a me ver saindo cedo para correr, comecei a levá-las junto comigo, elas logo criaram um grupo de amigos e estão adorando a brincadeira. Em vez de dormir até tarde, elas acordam cedo e me chamam “papai, está na hora do treino, levanta”. Elas me estimulam muito", conta um corredor, falando sobre as filhas. A corrida é um exercício naturalmente presente na vida das crianças desde cedo, o que as aproxima ainda mais da modalidade. 
O esporte exercita a disciplina, desenvolve a coordenação motora e estimula o trabalho em equipe, trazendo benefícios para o dia-a-dia do pequeno corredor. "A corrida é algo muito natural para as crianças. Elas correm, pulam e saltam nas brincadeiras. Com os treinos, elas trabalham em equipe, treinam a coordenação motora, trabalham a disciplina e ainda passam a ter mais cuidado com a alimentação. Isso ajuda os pais em casa e também no colégio" explica o professor de educação física João Montenegro 

"Agora, o treino é a primeira atividade do dia. Eles já acordam cedo e se alimentam bem por causa do esporte" revela a mãe de um dos pequenos. Segundo João Montenegro, as crianças podem começar a correr a partir dos cinco anos de idade. O ideal é que a atividade seja supervisionada por um treinador, mas ela também pode ser praticada sem acompanhamento profissional, desde que os cuidados necessários sejam respeitados. "Eles têm que ser orientados por um profissional. Se não tiver um profissional, elas podem ir aumentando a atividade aos poucos, mas de forma gradativa. Correr de manhã cedo com os pais, entre 8h e 9h, de duas a três vezes por semana no máximo, sempre gradativamente e sem pensar em performance" orienta João. 

Os atletas mirins não devem se preocupar com desempenho. A corrida tem que ser apenas mais uma alternativa para a prática de exercícios físicos desde a infância, como são a natação, o judô, o ballet, e tantas outras opções. "Eu sinto prazer quanto eu corro. Eu faço por diversão, não pela competição. A gente nunca quis aguçar a competitividade, a corrida infantil não premia os primeiros, ela premia todos os participantes. Se eles vão ser campeões ou não, isso é um pequeno detalhe. O importante é que a criança leva a disciplina trazida pela corrida para o resto da vida" diz João Montenegro.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

JARAGUÁ FUTSAL FAZ ARRECADAÇÃO DE ROUPAS E ALIMENTOS NOS JOGOS

Fonte: assessoria de imprensa CSM Futsal 

A CSM/Pré-Fabricar/FME (SC) volta a jogar na Arena Jaraguá pela Liga Futsal no próximo sábado (20/7), contra a Assoeva/Unisc/ALM/Venax (RS), às 19h. Esta será a segunda partida dos catarinenses na segunda fase da competição, depois do empate com o São José/ValeSul Shopping (SP). E o torcedor que comparecer para incentivar os jogadores em quadra terão a oportunidade de contribuir com uma boa ação. 
A CSM está arrecadando roupas e alimentos para serem doados na região de Jaraguá, conforme explica o diretor de marketing da equipe, Joe Júnior. A campanha segue também na segunda-feira (22/7), quando o time catarinense tem compromisso pelo Estadual. 
Voltando as atenções para o duelo pela Liga Futsal, o pivô Hugo ressalta a importância da presença do torcedor, não só para alavancar a iniciativa das doações, como, também, para dar um ânimo extra aos jogadores na conquista de um resultado positivo. "A torcida nos incentiva e faz o seu show. O carinho vindo das arquibancadas nos motiva para sempre conquistar a vitória", reconhece o pivô Hugo.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

CORAÇÃO COM HIPERTROFIA: DOENÇA TEM DIFÍCIL DIAGNÓSTICO E CAUSA É GENÉTICA

Por Nabil Ghorayeb 

O coração do atleta tem aumento das espessuras do seu contorno chamado de paredes cardíacas e das cavidades (os ventrículos) direito e esquerdo, até certo tamanho fisiológico. Mas, quando ultrapassam os limites, poderemos estar diante da miocardiopatia hipertrófica em vez do coração de atleta. Essa doença é de causa genética (mutação) e pode ser transmitida aos descendentes. 
A dificuldade é diferenciar o normal do anormal mesmo baseado em exames e na experiência do cardiologista. Segundo a recente Diretriz em Cardiologia do Esporte e do Exercício, das Sociedades Brasileiras de Cardiologia e de Medicina do Esporte, necessitamos da consulta clínica, eletrocardiograma, ecocardiograma, teste ergométrico e até ressonância magnética do coração para podermos fechar um diagnóstico. Certos casos são considerados difíceis e aí podemos tentar diagnosticar pelo mapeamento genético (difícil e caro) mas que se positivo confirma o que deve ser. 

O problema mais frequente hoje em dia é que alguns diagnósticos por não seguirem a Diretriz e confundem coração de atleta normal e fisiológico com o de uma miocardiopatia, ou até pior, o inverso. Evidente que não existe certezas definitivas em medicina e muitas vezes a doença está no seu início e aí se confunde com o coração de atleta por não ter ultrapassado os limites ainda, por isso o acompanhamento médico periódico pode ajudar a esclarecer. 
Outra maneira de chegar ao diagnóstico é o afastamento das atividades físico/esportivas por 90 a 180 dias, se o coração diminuir de tamanho , provavelmente ele era de um coração de atleta e caso não se modificar ou continuar a aumentar de tamanho então é provável que seja o da miocardiopatia. Podemos dizer que hoje já temos algumas opções de tratamento clínico, de intervenção, com dispositivos como o marca passo, de cirurgia cardíaca e o de cateterismo com alcoolização de pequenas artérias coronárias. 

A vida esportiva dos portadores da doença deve ser muito bem definida com seu afastamento das competições e de exercícios mais intensos, na verdade cada caso deve ser visto individualmente e a conduta também personalizada para evitar riscos. Mais uma vez, ressaltamos que esportes e atividades físicas feitas com orientação, dentro dos limites de cada um e regulares não causam danos ou mortes, que só acontecem com usos de drogas proibidas , as lícitas como os anabolizantes, alguns energéticos estimulantes, excessos esportivos descontrolados, doenças não diagnosticadas ou não valorizadas pelos seus portadores. Pratique atividades físicas sempre com qualidade e em qualquer idade.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

TROTE E CAMINHADA TRAZEM BENEFÍCIOS E SÃO RECOMENDADOS PARA TODAS AS IDADES

Por Nabil Ghorayeb 

Segundo orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e das várias sociedades médicas existentes, incentivar a atividade física virou uma das obrigações dos médicos de todas as áreas. As perguntas sobre o que, quanto e quando fazer exercícios martelam especialistas desde o poderoso National Institute of Health - o Ministério de Saúde americano - até órgãos semelhantes espalhados pelo mundo. Finalmente concluíram que a simples caminhada acelerada - conhecida como trote - e as corridas, iniciadas em qualquer idade, trazem benefícios de graus variados para seus praticantes. 
Pesquisas americanas mostraram que abandonar o sedentarismo, mesmo após os 75 anos, praticando caminhadas e corridas de três a cinco quilômetros, trouxe benefícios significativos. O metabolismo do açúcar e das gorduras aumentou, assim como as capacidades cardiorrespiratória e física, a resistência frente a eventuais doenças ficou maior e o psiquismo e o humor melhoraram, aumentando a qualidade de vida dos atletas. Casos de complicações nas corridas só ocorreram em pessoas que desconheciam ou desvalorizaram problemas cardíacos. 

Os benefícios virão a partir de 14 semanas de exercícios praticados de três a quatro vezes por semana, com uma duração média de 60 minutos e intensidade moderada. Esportistas com idade superior aos 45 anos necessitam de uma consulta especializada e de um eletrocardiograma, além de exames de laboratório para avaliar a função do fígado, dos rins e da tireoide. 
Dependendo da intensidade, volume e da modalidade escolhida, devemos incluir o teste ergométrico, que deve ser levado até a exaustão do examinado e com o médico presente na sala, como determina o Conselho Federal de Medicina para garantir total segurança. Os valores dos batimentos cardíacos do exame servirão de base para realização de exercícios eficientes. As avaliações devem ser repetidas anualmente ou após a ocorrência de algum fato médico.

JARAGUÁ FUTSAL ESTRÉIA NESTA SEXTA-FEIRA NA SEGUNDA FASE

Por Rodrigo Floriani (assessor Jaraguá Futsal) 

Chegou o momento do Jaraguá Futsal (CSM/Pré-Fabricar/Mannes/FME) estrear na segunda fase da Liga Nacional. No grupo C, ao lado do São José, Assoeva e Concórdia, um dos representantes de Santa Catarina na competição nacional embarca na noite de hoje, rumo a São Paulo. A saída será às 23h, da Arena Jaraguá. Chegando à cidade paulista de São José dos Campos, o elenco comandado por Sérgio Lacerda tem dois treinos agendados. Amanhã (dia 04) fará o reconhecimento de quadra no TC São José dos Campos às 19h. Na sexta-feira a comissão técnica confirmou um “apronto” às 10h. 

O jogo entre São José e Jaraguá Futsal está confirmado para às 20h, no TC São José dos Campos, em São José dos Campos. Um jogo difícil, conforme analisa o ala Nenê. “O nível da competição aumenta nessa segunda etapa, conseqüentemente terá que aumentar nossa concentração. Vamos buscar fazer uma boa partida, pois o resultado positivo será conseqüência disso”. As duas equipes já se enfrentaram na primeira fase da Liga, com vitória do Jaraguá Futsal. Na ocasião, o jogo foi realizado em solo paulista. O ala relembrou da partida. “Foi um jogo atípico, onde vencemos por 1 a 0 com gol de cabeça. Mas tivemos muitas dificuldades e tomamos pressão em vários momentos da partida. Agora não vai ser diferente, pois eles estão motivamos pela classificação e jogam em casa”, finalizou o jogador.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

EM NOITE INSPIRADA DOS GOLEIROS, JARAGUÁ E CORINTHIANS FICAM NO EMPATE

Fonte: globo.com 

Em um duelo marcado pelo equilíbrio, válido pela 16ª rodada da Liga Futsal, o Jaraguá empatou com o Corinthians por 1 a 1, nesta segunda-feira, na Arena Jaraguá, em Jaraguá do Sul (SC). Dian anotou o gol do time da casa, enquanto Jackson descontou para os visitantes. Apesar do placar magro, as duas equipes mostraram um bom poder ofensivo, com lances de perigo do início ao fim. Inspirados, os goleiros Djony e Douglas tiveram papel fundamental na partida, segurando o resultado até o apito final. 
Já classificados a três rodadas para o fim da primeira fase, os dois times entraram com o objetivo de ampliar as suas respectivas pontuações de olho no mata-mata. Nesta fase, quem tiver a melhor campanha leva a vantagem de decidir em casa e empatar na prorrogação, em caso de dois resultados iguais. Invicto até antes do início da última rodada, o Corinthians conheceu a sua primeira derrota na última sexta-feira, quando foi superado pelo Joinville por 2 a 1, no ginásio do adversário. 
O resultado custou ao Timão a liderança da competição, nas mãos do Joinvile, com 38 pontos. Apesar de ter ficado com a mesma pontuação, o Alvinegro do Parque São Jorge soma 12 vitórias, uma a menos que o primeiro colocado. Mesmo sem ter vencido os paulistas, o Jaraguá ficou com 31 pontos, pulando de quarto para terceiro lugar na classificação, ultrapassando o Orlândia, com 30. 

O jogo: Empurrados pela torcida, os catarinenses começaram pressionando os paulistas com uma forte marcação, sem dar espaços para a troca passes. Em um dos primeiros lances de perigo, Jonas, do Jaraguá, arriscou um chute de longe, surpreendendo o arqueiro rival, que salvou no reflexo. A resposta veio com Simi, que partiu com velocidade no contra-ataque e bateu cruzado, mas Djony se esticou e defendeu com o pé direito. O jogo começou a pegar fogo, com boas oportunidades para ambos os lados. 
Após perder a chance de marcar com uma bomba de Hugo, os anfitriões abriram o placar em uma jogada aérea. Na cobrança de lateral, Jonas lançou para área, Hugo desviou de cabeça e Dian completou com outra cabeçada para colocar o Jaraguá na frente: 1 a 0. Por pouco, o Corinthians não empatou com o chute de Douglas, que arrancou tinta do travessão. Rafinha também teve a chance de marcar depois de emendar um passe açucarado de Douglas com um chute cruzado, defendido por Djony no relfexo. O duelo seguiu equilibrado até o intervalo, com ambas as equipes levando perigo nos contra-ataques. 
Os times voltaram à quadra com outra postura. Enquanto os paulistas entraram com sede de gol, os catarinenses se fecharam na defesa, tentando evitar o empate. O Corinthians não desistia e se lançava ao ataque sem deixar os donos da casa verem a cor da bola. Após uma série de tentativas, o Timão, finalmente, conseguiu. Depois de um lindo passe de Simi, Arhur deu um toque na medida para Jackson, que encheu o pé para deixar tudo igual: 1 a 1. O Jaraguá partiu para cima, mas parou no na muralha armada por Diogo. 
Do outro lado, Djony também estava inspirado, freando a reação paulista com ótimas defesas. O clima ficou quente, as faltas tornaram-se frequentes e as duas equipes buscavam a vitória a qualquer custo. O placar não refletia a movimentação dentro de quadra. Mas, apesar dos inúmeros lances de perigo, nenhum dos lados conseguiu balançar as redes novamente e o empate foi inevitável.